Sobre um ser iluminado que anda pelos corredores da UFPE! ♡

Isso não é um poema, isso não é uma crônica, não terá rima e português de rico. Não terá ritmo, não será ouvido e muito menos sentido. Isso não é nada, isso é o nada, melhor assim, no nada cabe tudo, o nada é sincero, o nada nada esconde no seu olhar. Pois é, eu não sei nada sobre você, só sei das coisas que o seu olhar me diz. Não sei nada sobre os seus medos, não sei nada sobre os seus desejos, não sei em qual local você descansa todo esse seu brilho. Não sei nada sobre a sua infância, não sei o que você queria ser quando crescer, não sei se ao crescer você queria deixar de ser. Nada sei sobre você. Não sei sua cor favorita, não sei as dificuldades que já passou na vida, confesso que nem sei o seu nome completo. Tudo que sei sobre você é o que seu olhar tem a dizer.

Seu olhar me fez gostar de você, seu olhar me fez admirar você, seu olhar faz você. Seu olhar afirma ao mundo que você é o protagonista da sua vida, sua forma de tratar seus amigos mostra que você tem a raridade estampada na alma. Adoro sua forma plástica de embrulhar e aquecer os nossos corações, adoro a forma com que você faz do seu coração uma universidade pública que para entrar nem precisa de prova, basta querer amar também.

Você carrega no olhar a leveza e profundidade dos poemas de Drummond, Ton. Só queria te dizer que eu adoro sua melodia, eu adoro o seu TOM! 

                         _________________________________________________________

Texto escrito em novembro de 2013 para a comemoração do
aniversário do nosso querido representante de turma, Ailton Ramos.
Pessoa iluminada que carrega consigo todos os sonhos do mundo e transborda isso no olhar! 

Eu e Ailton no 2° período de Psi - 2011 

O abraço de aniversário 

Minha turma do curso de Psicologia! Foto do aniversário de Ton 



"Olha esse sorriso tão indeciso, tá se exibindo pra solidão..."

Hoje andando pelas vielas do facebook me encontrei com duas histórias distintas que, na verdade, pareciam ser irmãs gêmeas, as feições eram tão iguais que pensei ser o mesmo sorriso, confundi e deduzi que ali residia o mesmo brilho no olhar. Talvez resida. Talvez resista. O que hoje vos falo é sobre a nossa capacidade de naturalizar coisas tão ruins, aprendemos a não olhar o que (pode talvez) nos chocar. Hoje conheci a história do Allison que nada tinha além de um pacote de amendoins, ele, que nada tinha, ofereceu tudo que tinha a um gringo qualquer. Conheci também a história do Guilherme que só queria ter seu coração eternizado e congelado em uma foto! :)

Guilherme e seu coração. Fonte: Fanpage Razões para Acreditar
Cara, são tantas as histórias que existem por ai dormindo nas ruas frias, são tantos os sorrisos e corações congelados, não numa foto, mas num dia de inverno. E os nossos olhares? Esses estão congelados e focados nos nossos interesses pessoais! Olha essa foto do Guilherme mais uma vez e pensa em tantos Guilhermes que existem por ai, quais serão seus sonhos? O que será que ele pensa ao dormir? Será que ele já teve um amigo imaginário ou se imagina invisível nesse vasto mundo vazio? Será que ele escolhe entre comer na bob's ou na mcdonald's? Qual será que foi sua maior decepção na vida? São tantas questões... 

Eu andando depressa hoje pelo centro da cidade um homem me pediu dinheiro, eu nem o olhei nos olhos, eu nem o dei a chance de ter seu sorriso ou olhar congelados na minha mente. Acho que quando ele terminou a frase meus passos já estavam no parágrafo seguinte.

E quantas outras vezes eu não fiz isso? Quantas outras vezes não fizemos isso? Às vezes a única forma de dizermos ao outro que estamos notando a sua existência é fugindo dele e indo para o outro lado da rua com medo de sermos assaltados. A gente exclui na mesma rapidez com que piscamos os olhos e é nessa breve pausa (eterna para eles) que negamos ao outro o direito de pertencer a este mundo, não que seja um bom lugar para habitar. 

Enquanto eu estava indo fazer a minha carteira de estudante universitária tantas outras vidas se questionavam sobre o que iriam comer naquele dia, pois não são todos que como o Allison possuem amendoins. Tantas vidas vivendo nas ruas, vidas que ~todos os dias~ são recebidas com olhares de desprezo e nojo por outras vidas, vidas que crescem vendo os outros indo comprar roupas, tomar sorvete, passear no parque 13 de Maio com os filhos num dia ensolarado de domingo, vidas que aos 6 anos de idade se drogam e a única coisa que fazemos é dizer, com a nossa testa enrugada, que o mundo está perdido. Na verdade quem se perde é a gente no nosso discurso hipócrita e no nosso egoísmo em liquidação. 

A maioria dessas vidas são reconhecidas apenas quando cometem algum crime e, depois de todas as formas possíveis e imagináveis de exclusão que exercitamos contra tal ser, somos os primeiros a dizer que ele merece morrer, ser espancado, ser, não diferente de antes, tratado como um lixo qualquer, como um objeto de valor irrisório, como um nada. E mais uma vez não refletimos sobre o que a sociedade faz com seus herdeiros, mais uma vez excluímos e nos fechamos no nosso mundinho de merda. Meu Deus, eu sou uma vergonha.

Antes de achar o Guilherme um fofo pense em todos os outros Guilhermes que você chamou de trombadinha e marginal pelo simples fato dele não poder exercer seus direitos e deveres como você. Pelo simples fato da roupa dele ser suja e rasgada. Pelo """"""""""""""""""simples""""""""""""""""""" fato dele descansar sua existência em um pedaço de papelão na noite do sábado em que você ficou em casa porque estava chovendo demais... 

Desculpa Guilhermes.
"Guilherme me pediu: 
'Tio, não apaga a foto não tá?'. 
Pra finalizar Guilherme disse: 
'não sou de tirar foto não, mas hoje o dia tá lindo'."


"Você nunca vê que eu sou só um menino, destes tais, que pensam demais..."

Mudamos a nossa forma de ver e interpretar o mundo, trocamos os velhos costumes que não nos cabem mais e adquirimos outros que hoje nos vestem melhor, costumes esses que valorizam a forma atual de como funciona o nosso pensamento sobre as questões do próprio mundo! O mundo se alimenta dele mesmo. Hoje eu estava pensando sobre como o mundo - e, claro, as relações que o move - pode ser um abismo, pode ser mau e perturbador! Sim, falar e pensar sobre isso é muito clichê, mas me diga: o que ainda nunca foi pensado ou dito neste mundo? Parafraseando uma frase dita no filme Her, acredito que tudo que hoje é dito são versões diferentes do que já foi dito por ai, são versões que trazem o que somos a partir do tom do nosso discurso, da verdade e do brilho do nosso olhar! Nossas crises existenciais já aparecem nesse ponto: queremos ter os melhores discursos, elogios, a maior quantidade de curtidas e de amigos e etc. Com isso, nossas relações no mundo (não tem como ser em outro lugar) se sustentam tendo como base uma hipocrisia enjoada, nossas relações embarcam num eterno mergulho profundo na parte rasa das razões da nossa existência!

Essa necessidade de muitos em querer fazer e ser parte de todas as partes do mundo os fazem ficar perdidos, começam a agir descontroladamente sem respeitar seus limites e bordas! É complicado, primeiro porque o mundo no geral tem suas próprias regras (que todos cobram de si e dos outros mesmo sabendo que é impossível segui-las) e segundo porque cada seguimento do mundo tem suas exigências específicas, como sabemos, não podemos 'agir' de forma igual dependendo do lugar em que estamos! Resumindo: é impossível agradar e habitar todos os lugares! 

Não, eu não tenho que estar feliz (e muito menos fingir) em todos os momento. Sim, posso chorar em qualquer lugar e isso nada falará sobre a minha força. Não preciso ser forte e me manter sóbria para manter uma imagem, não preciso fechar as pernas e não falar palavrão para dizer que o meu gênero é feminino! Não preciso fazer minha unha toda semana e usar salto alto para me verem como adulta. Não preciso esperar um homem tomar a iniciativa para não ser chamada de puta, não preciso ser cristã para espalhar amor pelo mundo! Sim, tenho defeito pra cacete, sou chata, estressada, posso descontar meus desconfortos nos outros, posso cobrar algo às pessoas erradas e pedi-las para preencherem um vazio que é só meu; muitas vezes esqueço também que o tempo do outro não é igual ao meu. Já desejei ter a vida de muitos. 

Não acho feio ter defeitos, até porque não conheço ninguém que durma qualidade e acorde qualidade, é impossível (pra mim)! Sempre disse que a contradição é a nossa condição de humanidade, mas ultimamente entre o ser e o não ser há tanta negação que a contradição está perdendo seu lugar para a hipocrisia! 

Fonte da Imagem: https://www.facebook.com/monicacrema.art?fref=ts


Eu te amo calado como quem ouve uma sinfonia...

Eu estava aqui lavando os pratos e pensando na vida, teorias sobre o amor entre casais que planejam passar a vida juntos (teorias essas sempre tão presente na minha mente) vieram me visitar! Faz um tempo que entendi que sofrimento e amor não andam de mãos dadas, pra mim, ao menos, essas duas coisas não fazem sentido quando interligadas! Quando falo sofrimento não me refiro a brigas, lutas por mudanças e adaptações, não me refiro a algumas lágrimas que podem transbordar quando alguma expectativa foi frustrada ou sei lá, claro que sei que momentos difíceis em qualquer relação é absolutamente normal. Falo daquele sofrimento patológico onde reside incertezas e falta de respeito, onde o 'amor' é visto e transmitido apenas como um joguinho de sedução e posse, sabe? Aquele tipo de relacionamento que a gente não acha bonito ou saudável, que os integrantes passam mais tempo atualizando o status do facebook entre 'solteiro' e 'em um relacionamento sério' do que juntos!

Também não estou dizendo que em relacionamentos assim não exista amor, pode ser que tenha, mas eu acredito que para duas pessoas darem certo precisam estar dispostas, precisam de sintonia e, além de tudo, precisam querer chegar ao mesmo lugar, mesmo que caminhos diferentes sejam utilizados nesse percurso. Ai entra o velho clichê nos dizendo que amar não é suficiente para estar junto. Não é! Nunca foi! Nunca será! Às vezes só não é o tempo certo! Acredito que a gente precisa saber a hora certa de ir embora da vida da outra pessoa e deixar que ela vá também, precisamos preferir qualidade de vida e parar de gostar de sofrer, porque sinceramente, tem gente que sabe que algo nunca vai dar certo, mas continua ali morrendo aos poucos, tendo e partindo corações em milhões de pedaços (sim eu sei que há motivo e motivos, mas o objetivo do texto não é aborda-los).

Também pensei naqueles amores de quando tínhamos 15 anos e até ~ hoje ~ sofremos pelo término, espalhando pelo mundo que perdemos o "amor da nossa vida". Sério isso? Isso não faz sentido algum minha gente. Não faz sentido porque você mudou, a outra pessoa mudou, o mundo mudou, essa pessoa que você jura amor eterno pode nem existir mais. É, às vezes parece que amamos mais as lembranças do que os produtores delas em si! Isso é engraçado. Por favor não sofram por acontecimentos de quando você estava na puberdade, isso é deprimente para mim e não faz sentido algum! A gente se prende a cada bobagem, parece até que o sentimento de perda e sofrimento excessivo são necessários para nos sentirmos vivos. Isso sim é triste!

Eu lavei tantos pratos escutando Los Hermanos que deu tempo de pensar também na importância exclusiva que damos a esses relacionamentos e amores, frases como "você é o homem da minha vida" e "eu não existo sem você" deixaram de fazer sentido pra mim faz tempo também! Tem uma galera que fala isso em todos os relacionamentos, será que é mentira essa afirmação? Não, não é mentira. A verdade está exatamente ai! Todo mundo (ou a parte importante dele) que passa pela nossa vida nos preenche com algo, nos ensina algo, nos motiva pra algo; é como se todos tivessem seu momento e estadia 'pessoa da minha vida' na nossa vida, deu pra entender ou ficou muito confuso? Sendo assim, é praticamente impossível uma única pessoa ser o homem ou mulher da nossa vida! 

"Eu não existo sem você", já tentou viver sem oxigênio? Sem comida, aguá, motivação? O amor tem tantas ramificações e feições, tem tantas casas e caras, pode ser encontrado até no baobá ali do Carmo, chega a ser um insulto ao amor trazido pelo vento tornar uma única pessoa (que às vezes está na sua vida num faz nem um ano) a única fonte da sua existência! Tá, pode ser apenas palavras fofinhas, mas é tão mais interessante atitudes verdadeiras. Isso ajudaria bastante na veracidade da relação e do que se sente!

Às vezes o que nos falta é nos amar mais, sabe? Falta explorarmos nossos cômodos e esconderijos, falta-nos a felicidade da estar junto a nossa própria companhia e assim, numa atitude desesperadora, aceitamos qualquer morador no nosso coração. Quando não estamos com 'sorte' esse morador pode acabar com as sobras do nosso amor próprio e a gente começa uma guerra diária contra os nossos próprios sentimentos! É tudo muito complexo.

Eu te amo calado
Como quem ouve uma sinfonia
De silêncios e de luz
Nós somos medo e desejo
Somos feitos de silêncio e som
Te certas coisas que eu não sei dizer...

Fonte da imagem: facebook Mônica Crema - minha futura tatuagem





Mas eu sei que alguma coisa aconteceu, tá tudo assim, tão diferente...

Nunca dê uma volta pelo passado achando que vai viver exatamente o que se foi vivido outrora. Nunca se repetirá! A emoção não segue uma regra ou um ritmo definido, a emoção é argila que se molda de acordo com o toque, de acordo com a vontade viva que torna cada sensação única, ímpar. Nem mesmo um filme visto pela segunda vez nós diz a mesma coisa, da segunda vez notamos mais detalhes, observamos o sorriso de canto dado pela protagonista após alguma conquista, até nos permitimos fechar os olhos quando toca a trilha sonora e quando os olhos se fecham...

Pois é, ilusão sua achar que algo pode voltar. Se comermos hoje a feijoada de ontem te garanto que o gosto estará diferente, estará mais forte. Se formos na casa de alguma amiga novamente te garanto que o caminho não estará repousando do mesmo jeito, alguém chutou a pedrinha que estava na calçada, é como aquela velha história do rio que nunca é tocado pela segunda vez.

Do mesmo jeito ocorre na nossa relação, sabe? Nós estamos sempre nos moldando, sempre de mudança. Eu não sou a mesma pessoa depois de um filme que me faz refletir, não sou a mesma depois de um show de Lulu Santos ou Vander Lee, não sou a mesma Amanda depois de comer brigadeiro na panela. Desculpa, mas não sou! O quebra-cabeça é o mesmo, mas a forma de encaixar as peças mudou. Quando sair da sua 'desconfortável zona de conforto' proporcionada pelo seu presente e vir me visitar, lembre-se: o gosto da feijoada apurou, a pedra mudou de lugar, a minha sinopse mudou! Você não encontrará o mesmo 'final feliz'.


Fonte da imagem: Eu me chamo Antônio

"Do nosso amor a gente é quem sabe..."

Amor é raiz, sabe?
É árvore antiga
Rugas. Linhas de expressão
Amor é morada fixa
É caça palavras marcado
É mapa da cidade desconhecida traçado

Amor é fotografia que congela a paz e a agonia
É navio em maré mansa
Laço amarrado no dedo que evoca lembrança
É bonança. Âncora.

Amor é pão de queijo que acaba de sair do forno
É raiva que acaba em gozo
É certeza. Dúvida
Birra. Tudo

Não se ama as qualidades
Muito menos os defeitos
Nem o gosto do beijo
Não se ama a paz
Nem o medo ou desespero
 O que se ama, meu amigo, é o ser humano
Por inteiro!


Amor à família
Amor aos amigos
Amor ao próximo
Amor às coisas simples da vida
Amor próprio

AMOR

Era uma vez um texto irônico e escroto igual a um país

Eu estava tomando banho e pensando na copa, veja que cenário sensual. Pensando na copa e na pergunta "copa pra quem?", pensando na copa e lembrando das inúmeras obras inacabadas no Recife, todas feitas na mesma hora por causa desse evento, pois se o objetivo fosse a melhoria do nosso trânsito e qualidade de vida teriam sido feitas há muito tempo e uma de cada vez, te juro, essas obras estão engarrafando a minha vida! Mas já me acostumei, obras no Brasil só começam em datas comemorativas: ano de eleição, dia da mentira, copa. Copa, uma prova daquele velho cenário pão e circo!

"Ah, que menininha cheia de mimimi, quer seguir a modinha de ser contra a copa, blá blá blá, lepo lepo..."
Pois ai é que o mundo se engana, eu amoooo futebol e principalmente jogos da nossa querida seleção brasileira, todos os amistosos e jogos das copas passadas estava eu lá torcendo, chorando, gritando; ainda lembro em 2009, quando soube que o Brasil sediaria a copa de 2014, eu fazendo planos com o meu avô de juntar dinheiro para ver a seleção no campo.

Isso será impossível. Meu avô teve um problema de saúde e só foi feito um exame mais profundo para descobrir o que ele tinha (depois de uns 2 anos sendo socorrido) quando chegou na UPA gritando que iria morrer de dor, realmente morreu 15 dias após tal exame. Pois é, o Brasil tem uma saúde de merda, pessoas morrem nos corredores esperando atendimento, aqui tem pena de morte e se você for pobre está na lista, só esperando seu momento. Mas MINHA GENTE, esse ano tem COPA, você quer mais o quê?

Estudei em escola pública também e não foi nenhuma que era modelo de num sei o que não. Era aquela que tinha mais aula vaga que papel higiênico no banheiro, aquela em que os livros didáticos eram dados em maio, que o mesmo assunto era dado em todo o ensino médio, professores desrespeitados e ameaçados na frente de todos, condições precárias de ensino, sem água para beber nem descarga na privada, você era ameaçado de morte, bombas eram colocadas no banheiro, etc. E NÃO VENHA DIZER QUE OS ALUNOS ERAM MARGINAIS E MAL EDUCADOS, TEM TODA UMA QUESTÃO SOCIAL POR TRÁS DISSO, NÃO SEJA ESTÚPIDO! Mas enfim, que mal tem isso, não é mesmo? A copa é um investimento!

Para entrar no curso de Psicologia na UFPE fiz quase mágica, pois não tinha muita base nas matérias específicas para a prova da Covest. Ainda hoje luto bastante para ter o respeito do meu lugar, pois não há nada mais elitista que uma universidade pública. O ambiente também não é um dos mais agradáveis, o povo vive sendo sequestrado e assaltado, as condições dos prédios são péssimas, os professores não tem o devido reconhecimento e eu já peguei uma greve de 4 meses que me desestimulou até o talo, pra não dizer outra coisa... Ah, por causa da Copa não terei aula nos dias dos jogos na Arena Pernambuco, pois minha 'quirida' Universidade será usada como estacionamento do evento. HAHAHA Aula pra quê? educação nunca foi uma prioridade mesmo!

"Poxa como essa menina é revolucionária, já a vejo gritando 'VEM PRA RUA' na Copa e etc".
ERRADO. Sabe o termo 'público'? Pois é, a gente não se reconhece nele, e é nosso! Dinheiro nosso, onde pagamos impostos até por um peido que soltamos na rua. Mas eu cansei de falar sobre isso, tentem entender a relação disso com a frase entre aspas a cima!

Enfim, companheiros e companheiras, a verdade é que o povo preguiçoso foi condicionado a ser brasileiro, se é que alguém me entende!

Se não segues teu discurso, que cubras tuas próprias vergonhas.

"Eu tive que ir embora mesmo querendo ficar..."

Mesmo que eu te ame, que eu te amo muito, eu nunca pude e nunca poderei amar por nós dois. Não poderia tanto assim.

Mesmo que as tuas palavras empalideçam e engavetem o meu coração, não poderei libertá-lo jogando a chave fora, o que posso fazer é deixar a gaveta aberta.

Mesmo que diante de ti as palavas me invadam e eu perca a minha nitidez, prometi tornar tudo preto e branco. Mas eu amo tons de cinza.

 Mesmo que as tuas exclamações me coloquem frente a várias interrogações e me preencham de uma vontade enorme  de escrever vários parágrafos e capítulos, mesmo diante de tanta inspiração, eu ainda assim desejo transformar e empacotar tudo em um ponto final.

Mesmo diante dos teus olhos que ainda hoje refletem quem sou, eu escolho calar, eu cedo tarde o teu lugar. Teus olhos confusos - as vezes ainda - confundem o caminho correto.

E mesmo diante da tua graça e do teu sorriso que ainda fazem eu me sentir em casa, que ainda hoje afagam a minha alma, eu decidi partir. Já está ficando tarde, eu tenho que ir embora...






O abismo que é pensar e sentir

Sabe aquele vazio? sim, aquele que em determinadas situações faz você se sentir oca, aquele que muitas vezes é preenchido de angústia, que faz parecer ter uma mão segurando forte o coração. Aquele que faz você questionar e duvidar da sua existência. Faz odiar a todos. Faz você abrir mão, nem que seja por minutos, dos sentimentos bons da vida. Faz você agir sem pensar em busca de caminhos que te levem às satisfações imediatas, mas ai você percebe que o caminho não é reto e que, na verdade, você se encontra no meio de um labirinto...

Sabe? então, preenchi o meu vazio com o entendimento de que ele nunca vai ser preenchido e, depois disso, me tornei mais eu. Tornei-me tornando-me - se é que isso pode ser dito dessa forma. É porque percebi que as pessoas só vivem para resolver os problemas e quando resolve um, já arrumam mais três e reclamam do seu vazio, do vazio dos outros e das situações que nem estão ao seu alcance. Canse.

A mim só restou viver esse vazio. Só restou viver os momentos labirínticos de mim. E pude perceber que é tão mais legal escutar música, fazer um texto ou olhar às estrelas do que ficar com certas atitudes que me empoçam, limitando minhas bordas. O bom é ir além das bordas. Me permiti transbordar.

Labirintos devem ser explorados.
Não se perca no meio do caminho!


"De tanto eu te falar
Você subverteu o que era um sentimento e assim
Fez dele razão pra se perder
No abismo que é pensar e sentir..."

http://www.youtube.com/watch?v=g_qMOCaLyv8

"É só lembrar que o amor é tão maior..."

Ontem e hoje eu vi uma série de comentários sobre a homossexualidade que me deixaram triste, comentários esses que dizem ser fundamentados na bíblia, que juram serem vazios de opiniões pessoais. As pessoas que amam outras pessoas do mesmo sexo foram chamadas de abominações, pecadores, filhos do diabo, etc; e o que mais me doía era ler: "não sou eu que estou dizendo isso, é Deus" ou então: "eu amo o pecador, mas abomino o pecado". E ainda "tal atitude é pecado  leva à morte".

Eu não vou comentar o que eu acho da bíblia, das religiões, ou desse tipo de gente que escreve isso (não estou generalizando as religiões nem as pessoas, só o tipo de gente que fala algo desse patamar, se você fala ou pensa assim, estou falando de você). Só quero dizer que doi saber que pessoas com esse tipo de argumento serão futuros psicólogos, professores, etc... desculpa, mas doi e eu preferiria que você tivesse outra profissão.

Deus discrimina a homossexualidade como abominável? Como um pecado que leva à morte? e porque eu não consigo acreditar nisso? Acredito que Deus esteja muito ocupado com os verdadeiro problemas do mundo para ser desse jeito ai. Com tanta gente morrendo de fome, com tanta gente morrendo por nada, com tanta gente morando na rua e sendo tratada como lixo, gente que nunca teve a oportunidade de mostrar ao mundo seu valor, com tanta gente sendo desrespeitada, com tanto vazio enlouquecedor, será mesmo que Deus está condenando pessoas que amam outras pessoas do mesmo sexo?

Eu não consigo e não vou acreditar nisso!

O engraçado é que eu ouvi de uma pessoa - evangélica e que tem os mesmos argumentos citados acima - que a vontade que tem ao ver um casal gay é de bater bem muito neles. Achei linda essa demostração de respeito e amor ao próximo. Talvez não seja pecado bater em um pecador pelo seu pecado.

Outro dia minha tia me disse: "Amanda não adianta fazer o bem indo nos hospitais e fazendo os outros rirem
se você não segue a palavra - ou o caminho - de Deus". Eu respondi que não faço o bem com o objetivo de ir para o céu, faço só pelo amor mesmo, é suficiente (para mim).

Desculpa, mas o  meu Deus não é assim. Eu não consigo acreditar em um ser assim. E se isso significa que eu vou para o inferno, tudo bem, vou encontrar muitos amigos e pessoas que admiro por lá!

Eu acredito mesmo é no amor, sabe? Na verdade das nossas ações, nas nossas atitudes frente às necessidades dos outros. Acredito no olhar de reconhecimento e cuidado, não acredito no olhar de condenação e desprezo. Não concordo com a frase "tudo é permissão de Deus", Deus não permitiria a falta de amor, Deus não permitiria o sofrimento. "Deus é amor, mas é justiça", veeelho Deus é perfeito demais para ser vingativo e qual é o critério usado por Deus para permitir que um ser durma em uma cama e outro na rua? e não me diga que Deus atua através do mistério.

Está na hora de levantar a bunda do sofá e parar de justificar suas ações medíocres com frases feitas para a vida não ser questionada!

E não concordo com a homossexualidade assim como não concordo com a heterossexualidade, não tem o que concordar, sabe? Sempre fui a favor do amor!

Tenho muitos preconceitos também, muitos, mas a diferença entre mim e as pessoas com os argumentos citados acima é que os MEUS preconceitos,  SÃO MEUS! Não uso Freud, Batman ou a Musa do Calypso para justificá-los.



"É só lembrar que o amor é tão maior..."